Não dá para falar em superávit num estado com problemas em áreas como a saúde, alerta Edegar Pretto

O deputado Edegar Pretto (PT) abriu a série de encontros da direção da Associação Médica do Rio Grande do Sul (AMRIGS) com pré-candidatos ao governo do Estado. O encontro ocorreu nesta segunda-feira (18) na sede da instituição, em Porto Alegre. Pretto foi recebido pelo presidente, Dr. Gerson Junqueira Jr, e demais integrantes da diretoria, que participaram de forma presencial e online. Também esteve presente o secretário de Saúde de Porto Alegre, Mauro Sparta, que preside o Conselho de Representantes da AMRIGS.

Gerson Junqueira apresentou ao pré-candidato um resumo do trabalho realizado pela Associação Médica, que completou 70 anos. Um dos destaques da conversa foi o projeto para a instalação do Centro de Simulação e Treinamento Clínico, que está sendo construído nas dependências da AMRIGS. O presidente Junqueira destacou o papel de protagonismo da Associação, em especial no longo período de pandemia no país. Segundo ele, o Brasil tem 600 mil médicos, e do total, cerca de 200 mil não têm educação continuada. “Como instituição, precisamos pensar na educação médica, e no que isso representa para melhorar o atendimento à população. Os recursos são escassos, portanto, o planejamento em saúde precisa ser prioridade dos governos”, avaliou.

Edegar Pretto defendeu que haja mais investimentos na área da saúde, e lembrou que no governo Tarso Genro, pela primeira vez, o Estado conseguiu destinar 12% do orçamento para a Saúde, como determina a Constituição Federal. Pretto destacou que tem percorrido o Rio Grande do Sul em roteiros de trabalho, e que prioriza a visita em universidades nos municípios onde passa. Disse que aposta no conhecimento produzido nas instituições de ensino, e que as universidades devem se tornar multiplicadoras do desenvolvimento do estado, em especial das regiões onde estão sediadas. “A educação e as oportunidades de ensino devem fazer parte das políticas de governo”, observou.

O pré-candidato falou da sua história de trabalho e de vida, e como seu nome foi apresentado por lideranças do PT, como os ex-governadores Olívio Dutra e Tarso Genro, pelo senador Paulo Paim e por deputados e deputadas das bancadas estadual e federal. Edegar Pretto destacou o trabalho que está sendo feito para a formação das coordenações regionais de sua pré-campanha, e que o processo resultará na realização de assembleias populares em todas as regiões do estado. “Estamos conversando com os diversos setores, que podem contribuir para o desenvolvimento do estado”, adiantou.

Pretto mostrou preocupação com o setor da saúde. Lembrou dos profissionais que atuaram durante o período mais grave da pandemia, e citou o trabalho incansável de trabalhadores e trabalhadoras da saúde na linha de frente contra a Covid.

Sobre o assunto tratado pela direção da AMRIGS a respeito da defasagem de mais de oito anos sem reajuste nos valores dos procedimentos médicos e a crescente insatisfação com relação ao IPE Saúde, o deputado lembrou que o IPE hoje atende mais de 1,1 milhão de gaúchos e gaúchas, e que seus beneficiários são funcionários públicos estaduais e municipais, e seus dependentes. O deputado declarou que o governo do Estado está num mundo paralelo ao comemorar um superávit de R$ 2,5 bilhões, enquanto milhares de pessoas sofrem por falta de investimentos, em especial na área da saúde. “Nossas gestões sempre tiveram preocupação com a área da saúde, e meu compromisso é manter um diálogo franco e transparente com a Associação de Médicos, que muito tem a contribuir com a saúde de um modo geral”, observou.

Durante o encontro com a direção da AMRIGS, Edegar Pretto ainda conheceu o Memorial da Gratidão, composto por três esculturas de bronze feitas pelo cirurgião plástico Paulo Favalli. Os painéis representam a luta de médicos, médicas e demais profissionais da ciência e da saúde no combate ao Coronavírus, que representa a maior crise sanitária dos últimos 100 anos.

Texto: Leandro Molina
Foto: Rafael Stedile