Moradores da Lomba do Pinheiro cobram solução para falta d’água

A falta de água na Lomba do Pinheiro foi tema de audiência pública da Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira (1º), organizada pela Comissão de Defesa do Consumidor e Participação Legislativa Popular da Casa. A audiência foi proposta e coordenada pelo deputado Edegar Pretto (PT).

A audiência pública ocorreu no Centro de Promoção da Criança e do Adolescente, localizado na Lomba do Pinheiro. Com salão lotado, foram ouvidas as reclamações e relatos de moradores e moradoras a respeito da falta de água, e dos prejuízos que cerca de 120 mil moradores da região enfrentam com o desabastecimento. Mas somente os deputados ouviram as queixas e propostas de solução ao problema.

Mesmo convidado oficialmente, o prefeito da capital, Nelson Marchezan, não compareceu e não enviou nenhum representante. O Departamento Municipal de Água e Esgotos (DMAE) também não enviou representação. “Sem a presença da prefeitura e do DMAE, o problema agora será debatido na Assembleia. Vamos gerar um documento na Casa e pedir uma audiência com o prefeito Marchezan e a direção do DMAE. Também vamos encaminhar um relatório para o Ministério Público sobre o problema que deixa milhares de casas sem água”, explicou o deputado Edegar Pretto, que coordenou a audiência e acrescentou. “A Lomba do Pinheiro tem voz no parlamento gaúcho”.

No espaço de falas, o morador da Lomba do Pinheiro e ex-diretor do DMAE, Adinaldo Soares de Fraga, apresentou uma série de projetos de obras que, segundo ele, representam alternativas que podem resolver o problema de forma mais rápida do que a construção de uma nova estação de tratamento, conforme proposta de um engenheiro do DMAE como solução para o problema de falta d’água no bairro. Lideranças da comunidade também cobraram a presença do prefeito de Porto Alegre. A principal crítica diz respeito à falta de diálogo dos moradores com o chefe do Executivo municipal. Gritos e palavras de ordem marcaram a contrariedade com o descaso da prefeitura com a Lomba e os bairros periféricos da capital.

Presenças
A deputada Sofia Cavedon (PT) disse que “o prefeito Nelson Marchezan está cometendo um crime contra a cidade”. O deputado Sebastião Melo (MDB) disse que falta sensibilidade ao governo municipal, que não ouve a população. “Somos parceiros e queremos ajudar”, declarou. A defensora pública dirigente do Núcleo de Defesa Agrária e Moradia, Isabel Rodrigues Wexel, explicou que a população tem direito a se defender, e lembrou do histórico da Defensoria Pública do RS sobre o caso da falta d’água na Lomba do Pinheiro, e das ações que já fez para colaborar com a solução e amenizar os prejuízos decorrentes da falha na prestação do serviço. “Seguimos defendendo os direitos dos moradores e mediando o diálogo com o poder público na busca de solução para este grave problema”, afirmou.

Além de moradores e moradoras, também participaram da audiência pública os deputados Rodrigo Maroni (Podemos) e Mateus Wesp (PSDB); o coordenador do Conselho Popular da Lomba do Pinheiro, Francisco de Souza, que representa 22 associações de moradores da região; representantes do Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (Simpa), Conselhos Tutelar, Plano Diretor e Orçamento Participativo; escolas municipais e estaduais da região; e representantes de vereadores e deputados federais.