Luz de qualidade no campo é pauta de Edegar Pretto em Viamão

O incentivo à produção de energia renovável e ao fornecimento de luz de qualidade no campo é uma das prioridades do deputado Edegar Pretto. Nesta sexta-feira (04), ele se reuniu com a diretoria da Cooperativa Regional de Energia e Desenvolvimento do Litoral Norte (Coopernorte), no Distrito de Águas Claras, em Viamão, para conhecer de perto os serviços prestados pelo grupo de eletrificação rural.

“A energia é uma das grandes demandas do meio rural, porque a agricultura gaúcha não é mais a mesma de anos atrás. As coisas evoluíram, tem novos equipamentos, novas técnicas, e para a utilização é preciso energia de qualidade, principalmente de fontes renováveis. Mas hoje, a maioria das regiões enfrenta sérios problemas com a prestação de serviços das grandes concessionárias”, observou.

No ano passado, a Coopernorte deu início à construção do parque de Usinas Fotovoltaica, que foi visitado por Pretto. O presidente da cooperativa, Jairton Vieira, disse que o investimento total será de aproximadamente R$ 55 milhões. “Nós temos estrutura para chegar a até 11 megawatt de geração de energia”, comentou. O complexo terá cerca de 25 mil painéis solares, com capacidade de produção que pode contemplar até 6 mil residências. O empreendimento é visto pelo grupo como principal fonte a encabeçar a geração de energia 100% limpa e renovável.

“Estamos observando a importância que tem para o meio ambiente, para a natureza, que o mundo caminhe na direção da produção de energia limpa. A Coopernorte já deu os primeiros passos, tanto na geração e distribuição de energia solar como também no fornecimento de internet de boa qualidade para a região, especialmente no meio rural”, apontou.

Além da energia solar, a cooperativa também inova ao oferecer internet de fibra óptica para a área rural, especialmente para as famílias cooperadas. Conforme Vieira, o grupo investiu mais de R$ 1,5 milhão nesse serviço nos últimos anos. Para Pretto, o poder público deve ser parceiro de projetos como os da Coopernorte, que possui 47 anos de história e surgiu da necessidade de acesso dos agricultores à energia elétrica.

Pretto lembrou que somente depois dos 10 anos de idade teve luz pela primeira vez em casa, instalada por uma cooperativa, ainda no interior de Miraguaí, na região Celeiro, onde vivia com o seu pai Adão, a mãe Otília e mais oito irmãos. Segundo o deputado, isso melhorou não apenas as condições de vida da família, mas também contribuiu para o desenvolvimento local. Diante do avanço tecnológico no campo, Pretto ressaltou a importância de garantir que os agricultores tenham acesso à luz elétrica de qualidade.

Para ele, as cooperativas de eletrificação rural desempenham um papel fundamental ao prestarem serviços de maior qualidade, diante dos prejuízos que a privatização de estatais, como a CEEE e a RGE, trouxeram para o RS. De acordo com Pretto, é recorrente a Comissão de Segurança e Serviços Públicos, a qual ele preside na Assembleia Legislativa, receber relatos de consumidores sobre a precarização da qualidade da prestação do serviço de energia que é fornecido por essas grandes empresas.

“Venderam para a população a mentira de que bastava privatizar que todos os problemas seriam resolvidos. Mas os serviços não respeitam o direito do consumidor, faltam energia e investimentos na troca de equipamentos. Com isso, acontecem situações como a do Vale do Taquari, onde, em plena seca, agricultores ficaram dias sem luz e perderam animais e produção, porque a empresa não estava atendendo o que está estabelecido no contrato de concessão. E as cooperativas, a exemplo da Coopernorte, estão mostrando o oposto. Em minutos, ou em questão de algumas horas, a energia já é restabelecida, porque elas têm esse olhar e estão mais próximas dos contribuintes. Isso é muito positivo”, argumentou.

Além da direção da Coopernorte, que também esteve representada pelo vice-presidente Paulo Rocha, participaram do encontro o ex-ministro da Cultura, Vítor Ortiz; o primeiro diretor do Programa Luz para Todos, João Ramiz; e lideranças locais de Águas Claras, Morro Grande, Capão da Porteira, Boa Vista e Assentamento Filhos de Sepé.