Entrega de alimentos para quilombolas marca Abril Vermelho MST

Famílias quilombolas que vivem no Quilombo dos Alpes, na zona Sul de Porto Alegre, receberam cestas básicas com arroz orgânico, feijão, farinha, massa, azeite, ovos, frutas, verduras, detergente e água sanitária. Cerca de 130 famílias quilombolas vivem na área dos Alpes, e a doação de alimentos ajuda as pessoas não passarem fome no período de isolamento social com a pandemia de coronavírus.

As entregas ocorreram neste sábado (18), em três pontos do Quilombo, como parte do Abril Vermelho do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), como é chamada a jornada anual em que o Movimento lembra as mortes de camponeses assassinados em Eldorado do Carajás, no Pará, em abril de 1996.

A ação contou com a participação do deputado estadual Edegar Pretto (PT), em parceria do Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável (Consea-RS) e o Comitê Gaúcho de Emergência no Combate à Fome, os quais já entregaram quase 40 toneladas de alimentos para famílias em situação de vulnerabilidade social em Porto Alegre, Viamão e Canoas.

“Nem a violência e a repressão de Eldorado dos Carajás foi capaz de impedir que o MST se tornasse esse extraordinário movimento, enraizado em todos os cantos do Brasil e admirado no mundo inteiro por ser um movimento que luta pela vida”, destaca o deputado.

Os alimentos doados são produzidos em assentamentos da região Metropolitana da capital gaúcha. Desde o início do isolamento, o MST já doou 12 toneladas de arroz orgânico para compor as cestas básicas.

“E assim nós continuamos com a nossa missão histórica enquanto camponeses e camponesas, que é produzir alimentos saudáveis para o campo e a cidade”, resume Geronimo Pereira da Silva, da direção estadual do MST do Rio Grande do Sul.

Além das ações de arrecadação e entrega de alimentos, o deputado Edegar Pretto formalizou pedido para que o Governo do Estado faça compras institucionais de produtos estocados da agricultura familiar e de assentamentos, por meio do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). A proposta é que os produtos adquiridos façam parte das cestas básicas que estão sendo entregues pelos órgãos do governo às famílias que estão passando fome.