ElesPorElas: uma causa que une diferentes bancadas da Assembleia Legislativa

Uma causa está unindo deputados e deputadas de diferentes bancadas da Assembleia Legislativa gaúcha: o fim da violência contra as mulheres.

Nesta terça-feira (17), integrantes da Mesa Diretora e líderes da Casa foram convidados a participar da sessão de lançamento do filme ‘O Silêncio dos Homens’, um documentário crítico sobre masculinidade que será exibido na quarta-feira (25), às 17h30, no Teatro Dante Barone na Casa.

O convite para exibição foi apresentado pelo deputado Edegar Pretto (PT) ao presidente do Legislativo, deputado Luís Augusto Lara (PTB), que reiterou aos líderes a importância da participação do Parlamento nessa causa. Desde 2014 a Assembleia Legislativa é signatária do Movimento ElesPorElas, e em 2017 também passou a integrar o Comitê Gaúcho ElesPorElas, que realiza diversas ações por igualdade de gênero e combate à violência contra as mulheres.

A exibição do filme tem como público principal deputados e servidores da Assembleia, mas será aberta ao público. A ideia é convocar os homens e provocar uma reflexão sobre o modelo de masculinidade que se impõe, que acaba por silenciá-los ao longo da vida. “O essencial é a mudança cultural. É preciso uma reflexão sobre o comportamento masculino, pois o silêncio vai para a raiz de diversos outros problemas como o machismo e a violência doméstica”, avalia o deputado Edegar Pretto.

O filme é produzido com apoio do Movimento ElesPorElas, da ONU Mulheres Brasil, e revela dados de uma pesquisa que envolveu mais de 40 mil homens no país. Os números apontam que sete em cada dez deles afirma lidar com um algum tipo de distúrbio emocional, como ansiedade, depressão, vício em álcool, entre outros.

Após a exibição, o espaço terá uma roda de conversa sobre os pontos apresentados no filme e os desafios para a busca de um novo modelo de masculinidade.

Dentro do contexto de combate ao machismo, vale lembrar que os índices de violência contra as mulheres apresentam números crescentes em todo o país. No Rio Grande do Sul, de janeiro de 2012 até junho deste ano, 706 mulheres foram assassinadas, vítimas de feminicídio. No mesmo período, foram 11.406 estupros consumados. Os dados são da Secretaria de Segurança Pública do Estado em levantamento do Comitê Gaúcho ElesPorElas.