Edegar Pretto: Precisamos resgatar no ensino a grande evolução que tivemos nos governos Lula e Dilma

Em mais uma agenda no município de Palmeira das Missões, nesta quinta-feira (30), o deputado Edegar Pretto visitou o Campus da UFSM no município. A instituição tem 1.400 estudantes em sete cursos de nível superior e uma demanda por mais seis cursos na área da saúde. “Na estrada,  conversando com pessoas de diversos setores para a reconstrução do nosso Rio Grande e do país, lembro da criação da UERGS no governo Olívio Dutra, mais o legado de universidades e institutos federais criados pelo governo Lula. Nunca houve um tempo com tantos jovens desesperançados como hoje, e as  universidades representam a luta de outros que vieram antes de nós e que defendiam a educação como espaço de mudança e oportunidades”, disse o deputado. Em 2017, quando foi presidente da Assembleia Legislativa, Edegar Pretto teve um grande envolvimento para restituir parte do orçamento das universidades, que havia sido cortado pelo governo. “Foi uma luta coletiva que deu resultado. Temos muito orgulho das nossas universidades, e saio daqui com mais esperança”, observou.
O diretor do Campus da UFSM em Palmeira das Missões, professor Luiz Anildo Anacleto da Silva, relatou que em 500 anos de Brasil existiam 29 universidades. “No governo Lula houve uma revolução, e somente na sua gestão foram construídas 18 novas universidades. Estamos em Palmeira porque a população se mobilizou pelo seu espaço de ensino superior”, contou. Segundo o diretor, hoje é extremamente difícil fazer a gestão de uma universidade, pelos escassos recursos dos governos federal e estadual. “Seguimos o trabalho aqui com apoio dos diversos setores da comunidade, que nos deu uma resposta de preocupação com a educação e o desenvolvimento social.”
A UFSM será 100% parceira do Hospital Público Regional, em construção no município. “Vamos ter mais de 20 pessoas de nível superior trabalhando no HPR. Quando uma comunidade tem problema, ela precisa da ajuda do Estado. Com a nova administração do prefeito Evandro Massing, temos espaços de diálogo e parcerias. É pelos municípios que começam as mudanças do país. Temos em Palmeira dois grandes bens: a UFSM e o Hospital Público Regional”, acrescentou o diretor do Campus.
“Vamos ter educação e saúde trabalhando de forma alinhada, com o trabalho da Universidade e a operação do Hospital Público Regional. É preciso sonhar grande para conquistar”, afirmou o prefeito de Palmeira das Missões, Evandro Massing.
Durante os governos Lula e Dilma, as universidades públicas e institutos federais,  antes basicamente centralizados nas capitais dos estados, foram levados para todo o interior do país. Foram criadas 18 novas universidades federais e 173 campus universitários, elevando o número de alunos entre 2003 e 2014: de 505 mil para 932 mil. No mesmo período, os institutos federais também tiveram uma grande expansão, quando foram implantadas mais de 360 unidades por todo o país.