Corte do ponto do magistério é uma punição injusta, avalia presidente Edegar Pretto

O presidente da Assembleia Legislativa em exercício, deputado Edegar Pretto (PT), visitou nesta segunda-feira (20) as Escolas Estaduais Rafaela Remião e Eva Carminatti, na Lomba do Pinheiro, em Porto Alegre.

Acompanhado de integrantes do Cpers Sindicato e Conselho Popular da Lomba, Pretto conversou com diretores e professores sobre o andamento da recuperação das aulas, após o fim da greve. Nos locais visitados, professores estão trabalhando sem receber, e a categoria reivindica diálogo e sensibilidade do governo. “É preciso que todos saibam que em pleno calor de janeiro, os professores estão recuperando os dias parados. O corte do ponto do magistério é uma punição injusta para quem luta pelos seus direitos”, avalia Pretto, em referência ao corte e a proposta do governo do Estado para parcelar o desconto dos dias parados.

Em relação ao pacote, o presidente do Legislativo diz que há uma grande dúvida do conjunto do que será votado na convocação extraordinária prevista para a semana que vem. Pretto questiona se tem mesmo possibilidade do governo ter a maioria dos deputados para aprovar os projetos com as medidas que constam no pacote, que segundo ele pretendem retirar os avanços conquistados ao longo da carreira dos servidores. “Estou convencido que os prejuízos não são só para professores e servidores em geral. O que vai ocorrer é a precarização geral da educação pública”, afirma.