Concessão de rodovias: “tem que ficar bom para os dois lados”, diz Edegar Pretto

O tema da concessão das rodovias foi abordado pelo pré-candidato do PT ao Governo do Rio Grande do Sul, deputado Edegar Pretto, durante a atividade de instalação da coordenação regional da sua pré-campanha e a de Lula no Vale do Taquari. O evento aconteceu nesta quinta-feira (28), no Círculo Operário de Encantado.

Pretto falou sobre a necessidade de analisar as concessões, um tema caro para a região, que possui 36 municípios e integra o bloco 2 do Programa Estadual de Concessão de Rodovias. Ainda possui cidades que há anos lutam para trocar os locais das praças de pedágios e por um plano que seja vantajoso para toda comunidade. Conforme o pré-candidato, é urgente verificar se os contratos estão sendo cumpridos, não apenas no que diz respeito às rodovias, mas também a outras áreas, como a de energia.

Ele defendeu ainda que todo o processo de concessão ou privatização passe por um amplo debate com a sociedade, para que ela possa opinar. “Não pode haver exploração ao bolso dos contribuintes. Estradas concedidas têm que ser fruto de um amplo debate e tem que ser um negócio que fique bom para os dois lados, para quem usa e para quem cobra”, argumentou.

Ainda no tema das privatizações, o presidente do Conselho de Desenvolvimento do Vale do Taquari (Codevat), ex-vereador Luciano Moresco, comentou que a região também será impactada com a entrega da Corsan à iniciativa privada. “A água pública é um direito de todo cidadão. O sucateamento da Corsan e o projeto mal elaborado pelo governo do Estado colocam em cheque as reais intenções em relação à água”, observou.

Moresco também destacou que o Vale do Taquari possui grande parte da sua economia voltada à produção agrícola. No entanto, sofreu perdas significativas devido à pior estiagem dos últimos 70 anos e à falta de comprometimento do poder público com os agricultores. “Esse ano fomos castigados pela estiagem, e novamente o governo do Estado e a União não agiram com celeridade para dar conta desse problema”, denunciou.

Pretto acrescentou que o RS e o Brasil “podem muito mais do que estão tendo”. Para ele, o Estado precisa agir para viabilizar no campo a produção diversificada de alimentos e garantir que a população da cidade possa se alimentar dignamente. “Eduardo Leite e Bolsonaro abandonaram políticas públicas para a agricultura familiar. Como consequência, estamos perdendo espaço do feijão, do milho, da batata, da mandioca para a monocultura e tendo uma das cestas básicas mais caras do país. Nossa luta é para voltarmos a ter comida barata”, ressaltou.

O movimento de instalação das coordenações regionais da pré-campanha de Pretto e Lula está acontecendo em todo o Rio Grande do Sul, e vai contemplar as 28 regionais do PT. As entidades envolvidas têm a missão de organizar, logo adiante, as assembleias populares, reunindo setores produtivos, movimentos sociais e sociedade civil, num grande debate para a formatação do Programa de Governo de Edegar Pretto para disputar as eleições ao Palácio Piratini.

No Vale do Taquari, também participaram da atividade o prefeito de Encantado, Jonas Calvi (PSDB); os deputados do PT, Elvino Bohn Gass e Pepe Vargas, pré-candidatos a deputados, integrantes de movimentos sociais, prefeitos, vice-prefeitos, vereadores e outras lideranças locais e regionais.

Foto: Rafael Stedile
Texto: Catiana de Medeiros

O tema da concessão das rodovias foi abordado pelo pré-candidato do PT ao Governo do Rio Grande do Sul, deputado Edegar Pretto, durante a atividade de instalação da coordenação regional da sua pré-campanha e a de Lula no Vale do Taquari. O evento aconteceu nesta quinta-feira (28), no Círculo Operário de Encantado.

Pretto falou sobre a necessidade de analisar as concessões, um tema caro para a região, que possui 36 municípios e integra o bloco 2 do Programa Estadual de Concessão de Rodovias. Ainda possui cidades que há anos lutam para trocar os locais das praças de pedágios e por um plano que seja vantajoso para toda comunidade. Conforme o pré-candidato, é urgente verificar se os contratos estão sendo cumpridos, não apenas no que diz respeito às rodovias, mas também a outras áreas, como a de energia.

Ele defendeu ainda que todo o processo de concessão ou privatização passe por um amplo debate com a sociedade, para que ela possa opinar. “Não pode haver exploração ao bolso dos contribuintes. Estradas concedidas têm que ser fruto de um amplo debate e tem que ser um negócio que fique bom para os dois lados, para quem usa e para quem cobra”, argumentou.

Ainda no tema das privatizações, o presidente do Conselho de Desenvolvimento do Vale do Taquari (Codevat), ex-vereador Luciano Moresco, comentou que a região também será impactada com a entrega da Corsan à iniciativa privada. “A água pública é um direito de todo cidadão. O sucateamento da Corsan e o projeto mal elaborado pelo governo do Estado colocam em cheque as reais intenções em relação à água”, observou.

Moresco também destacou que o Vale do Taquari possui grande parte da sua economia voltada à produção agrícola. No entanto, sofreu perdas significativas devido à pior estiagem dos últimos 70 anos e à falta de comprometimento do poder público com os agricultores. “Esse ano fomos castigados pela estiagem, e novamente o governo do Estado e a União não agiram com celeridade para dar conta desse problema”, denunciou.

Pretto acrescentou que o RS e o Brasil “podem muito mais do que estão tendo”. Para ele, o Estado precisa agir para viabilizar no campo a produção diversificada de alimentos e garantir que a população da cidade possa se alimentar dignamente. “Eduardo Leite e Bolsonaro abandonaram políticas públicas para a agricultura familiar. Como consequência, estamos perdendo espaço do feijão, do milho, da batata, da mandioca para a monocultura e tendo uma das cestas básicas mais caras do país. Nossa luta é para voltarmos a ter comida barata”, ressaltou.

O movimento de instalação das coordenações regionais da pré-campanha de Pretto e Lula está acontecendo em todo o Rio Grande do Sul, e vai contemplar as 28 regionais do PT. As entidades envolvidas têm a missão de organizar, logo adiante, as assembleias populares, reunindo setores produtivos, movimentos sociais e sociedade civil, num grande debate para a formatação do Programa de Governo de Edegar Pretto para disputar as eleições ao Palácio Piratini.

No Vale do Taquari, também participaram da atividade o prefeito de Encantado, Jonas Calvi (PSDB); os deputados do PT, Elvino Bohn Gass e Pepe Vargas, pré-candidatos a deputados, integrantes de movimentos sociais, prefeitos, vice-prefeitos, vereadores e outras lideranças locais e regionais.

Foto: Rafael Stedile