“As universidades abrem as portas do conhecimento e das oportunidades”, disse Edegar Pretto na UCS

Em visita à Universidade de Caxias do Sul (UCS) nesta sexta-feira (10/12), o deputado Edegar Pretto reforçou o compromisso com a educação, especialmente a superior pública e privada, bem como os Institutos Federais, instituições que vêm sofrendo com cortes de recursos por parte do Governo Federal. Na UCS, o deputado foi recebido pelo reitor Evaldo Antonio Kuiava, que também é presidente do Consórcio das Universidades Comunitárias Gaúchas (Comung).

O reitor reafirmou a disposição de abrir as portas da universidade para fazer conexões com os setores produtivos e impulsionar o conhecimento nas regiões. Para Edegar Pretto, o acúmulo de conhecimento das universidades não tem sido aproveitado por falta de incentivo do poder público. “Temos estudantes se formando com dinheiro público e saindo do estado e país por falta de oportunidade. Precisamos investir na ciência e na pesquisa para reter esses profissionais, tornar o nosso estado atrativo para eles.”

Além da necessidade de políticas públicas para investir em projetos de inovação, pesquisa e extensão, para que a patente da universidade se transforme em emprego e renda, Kuiava citou a principal demanda das universidades comunitárias: o repasse de 0,5% do orçamento, garantido pelo artigo 201 da Constituição Estadual, que está sendo feito pelo Governo do Estado. As 14 universidades comunitárias deixaram de receber, no ano passado, cerca de R$ 69 milhões, valor  que daria para formar cerca de sete mil estudantes. “Eu acredito que o estado deve aproveitar muito mais o conhecimento produzido em nossas universidades. Precisamos inserir as universidades no contexto do desenvolvimento regional e do estado como um todo”, ressaltou Pretto.

Saúde na pauta

No encontro com a direção do Hospital Geral da Fundação Universidade de Caxias do Sul, Edegar Pretto falou do movimento “Rio Grande e presente para toda a sua gente”, que tem o objetivo de escutar os diversos setores produtivos e a população do estado. Os roteiros pelo interior já ocorreram nas regiões Norte, Centro, Sul e Alto Uruguai. “Queremos manifestar a nossa solidariedade e o nosso carinho a todos os profissionais de saúde, que trabalharam incansavelmente durante a pandemia, às famílias que perderam entes queridos e às pessoas que ainda estão se recuperando em hospitais ou de sequelas trazidas por essa doença”, disse o deputado.

Para o diretor geral do hospital, Sandro Junqueira, o encontro foi muito importante, porque o Hospital Geral depende muito da parceria com o poder público. Junqueira mostrou um pouco da trajetória da instituição, que começou em 1998 e se consolida em 2021. “A nossa missão aqui é atender os pacientes SUS com a melhor qualidade e com muita humanização. Hoje a nossa principal dificuldade é a demanda reprimida. Nós estamos com um hospital sendo construído, a ideia é finalizar até o ano que vem, mas para colocá-lo em funcionamento nós precisamos de recursos públicos. Os recursos também serão necessários para poder dar suporte às patologias que deixaram de ser tratadas em decorrência da pandemia, principalmente os pacientes que precisam de tratamento oncológico, cardiológico e vascular”, explicou.

O hospital atende 49 municípios da região, chegando a 1,2 milhão de atendimentos anuais, de média e alta complexidade.